O estresse é uma resposta natural do nosso corpo diante de qualquer tipo de perigo ou pressão externa ou interna. E muitos pacientes que apresentam infertilidade acabam sofrendo de estresse devido à pressão própria, da família e dos amigos. Além da pressão por serem incapazes de ter um filho, estes pacientes sofrem com estresse causado pela rotina de tratamentos e exames para conseguirem engravidar.

Embora ter menos estresse enquanto realiza um tratamento de fertilidade não resulte, por si só, numa gravidez bem-sucedida, o ideal é que estes pacientes reduzam o estresse em sua vida. Isso porque o desenvolvimento de ações para enfrentar melhor o estresse no dia a dia associado com o diagnóstico e o tratamento da infertilidade pode ajudar um paciente a se sentir mais no controle da situação e melhorar, consequentemente, o seu bem-estar geral.

Estudos já demonstraram, inclusive, que o estresse influencia na tomada de decisões racionais e bem pensadas. Ou seja, reduzindo o estresse em seu dia a dia, um paciente com infertilidade poderá melhor pesquisar, explorar e ainda considerar todas as opções disponíveis para tratar o seu problema. Enfim, ao reduzir o estresse, os pacientes poderão analisar de forma mais eficaz os prós e contras de um tratamento e outro.

Como reduzir o estresse?

Para os pacientes com infertilidade, algumas técnicas são mais recomendadas para reduzir a sensação de estresse. Confira:

– acupuntura;
– exercício aeróbico;
– ouvir música;
– massoterapia;
– meditação;
– psicoterapia e terapia cognitivo-comportamental;
– livros de autoajuda;
– grupos educativos de apoio;
– ioga.

* Para saber mais, consulte um médico especialista em reprodução humana.